botao de busca



VOLTAR


<<< Anterior      Próxima >>>


Escolha o tamanho da fonte - A - A
09/Maio/2018

Na era da indústria 4.0, gestão de pessoas deve assumir papel estratégico nas empresas

Dólar valorizado e segurança pública estão entre os principais motivos que levam esses empreendedores a escolher os Estados Unidos como residência definitiva


Em 2011 surge, cunhado na Feira de Hannover pelos alemães, o conceito da Indústria 4.0, caracterizada pela inovação e automação da manufatura, criando novos postos e estruturas de trabalho. Com isso, o mercado cada vez mais exige um novo perfil de profissional, com maior pensamento crítico, capacidade de resolver problemas complexos, empatia, criatividade e colaboração, que vem refletindo nos RHs das empresas. O departamento, que antes tinha uma posição mais tática, passa a ser um núcleo estratégico dentro das companhias, segundo avaliação de Naomi Scuratovski Wernli, coach de carreira com mais de 10 anos de experiência, que idealizou o projeto Amiga da Meta Coaching & Consultoria ( http://www.amigadameta.com.br) para apoiar profissionais.

“Garantir a conformidade dos valores e preservar a cultura da companhia não pode ser o único foco do RH no mundo atual. É preciso moldar essa cultura, pensando em novas formas de suportar processos mais ágeis, e isso exige uma nova forma de atuação deste setor”, afirma Naomi. A fim de garantir o sucesso nesta transição, a especialista diz que o RH deverá desenvolver habilidades de coaching para apoiar gerentes e colaboradores com conversas cotidianas, visando departamentos mais integrados e conectados. O uso de tecnologia para a área de gestão de pessoas como o people analytics – a coleta, organização e análise de dados para reter e mapear talentos de forma mais precisa – garante a agilidade nos processos e tomadas de decisão.

A especialista ressalta que quem está entrando no mercado de trabalho procura, mais do que boa remuneração e benefícios, engajamento e significado. “A geração Y tem buscado propósito no que faz e as empresas devem se atentar a isso. Não só com a intenção de reter talentos, mas vivenciá-los na prática, no dia a dia corporativo. É essencial ser transparente”, pontua a idealizadora da Amiga da Meta.

A transformação do RH depende da mudança de mindset da alta administração das empresas, que precisa encontrar estratégias para impulsionar as equipes e traçar planos de negócio de acordo com o momento econômico. “Enxergar que vivemos em um mundo diferente é fundamental para formar equipes mais capacitadas, reter talentos, reduzir custos e, finalmente, melhorar a reputação da marca empregadora no mercado”, arremata a coach.

Sobre a Amiga da Meta Coaching & Consultoria
Projeto da coach Naomi Scuratovski Wernli, que busca maximizar o potencial de profissionais e equipes ao identificar e desenvolver talentos e habilidades, orientar e apoiar na construção de uma estratégia de carreira por meio de seu método baseado em três pilares: clareza, performance e resultados. Com mais de 10 anos de experiência com Auditoria, Controladora e Finanças, Naomi é mestre em Economia pela UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul.


Fonte: Press Works




COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS
  • Digg
  • del.icio.us
  • DZone
  • blogmarks
  • StumbleUpon
  • Facebook
  • Tumblr
  • TwitThis
  • Print
  • email
  • Live
  • Yahoo! Bookmarks

Comente esta notícia


Ver mais notícias rss




© 2009-2021 Guias Web - Todos os Direitos Reservados - Normas de Uso - Política de Privacidade